pt

Os 5 KPIs que todas as concessionárias deveriam monitorar

dezembro 17, 2018

QUANDO SE TRATA DA INDÚSTRIA DE TRANSPORTE, TUDO É GRANDE: EQUIPAMENTOS GRANDES, TONELAGEM GRANDE, CARGAS GRANDES. Outro “grande” com o qual você deveria estar familiarizado é o Big Data. Ter o controle e a compreensão dos dados gerados por sua concessionária é essencial para melhorar a eficiência, aumentar as vendas e a receita.

Como a sua concessionária produz uma enorme quantidade de dados diariamente, a análise de dados pode facilmente se tornar um caminho perigoso no caos dos dados. Considere os milhões de pontos de dados coletados por gravadores de bordo eletrônicos (EOBR) e sensores, registros diários, necessidades de reparo e manutenção, ações de vendas e campanhas de marketing nas localidades da concessionária. Em seguida, há dados meteorológicos, dados da Administração Nacional de Segurança Rodoviária (Highway Traffic Safety Administration), dados dos Serviços DAC – e assim por diante.

Mas adivinha só? Todos os dados do setor podem ser reunidos e combinados com os dados da concessionária para criar uma visão de 360 graus da sua empresa, permitindo que você tome decisões mais informadas sobre o desempenho da sua concessionária. Isso é Business Intelligence. 

O primeiro passo para otimizar sua concessionária com base em dados é identificar os principais indicadores-chave de desempenho (KPIs) que ajudarão você a administrar sua empresa com mais eficiência. Mas como lidar com esta "grande" tarefa sem enlouquecer com a quantidade de dados? Criamos a lista com os cinco KPIs mais importantes para concessionárias de caminhões com base em nossos mais de 20 anos de experiência no ramo de Business Intelligence. 

1. UTILIZAÇÃO FINANCEIRA

O acompanhamento da utilização financeira de cada veículo mostra precisamente o quanto de receita cada veículo está produzindo para a sua concessionária. Esse KPI divide a receita anualizada pelo custo de aquisição, o que resulta em uma métrica que pode ser expandida para incluir o custo do serviço, reparo e peças.

A análise comparativa da porcentagem de Utilização Financeira ajuda a comparar quais caminhões estão gerando mais dinheiro para sua concessionária e determinar quais novas peças devem ser adicionadas à frota, incluindo informações se estas peças devem ser novas ou usadas. 

2. TAXA DE SUBSTITUIÇÃO DO VEÍCULO 

Obviamente, não é uma boa ideia transportar veículos que precisam constantemente de manutenção e, muitas vezes, não funcionam. Você perde receita, mas o mais importante, compromete a satisfação do cliente. O tempo de inatividade rotineiro pode afastar os clientes, fazendo com que eles recorram à concorrência para encontrar o que precisam, sempre que precisarem. Tenha conhecimento desses possíveis problemas com o acompanhando dos custos de manutenção, o histórico e o tempo de duração da sua frota em comparação com a receita. Com as informações certas à disposição, você poderá se desfazer dos veículos problemáticos e substituí-los.

3. ANÁLISE DE DURAÇÃO DOS TRABALHOS EM ANDAMENTO (WIP AGING ANALYSIS)

A análise de duração dos trabalhos em andamento (WIP) permite visualizar os trabalhos que estão sendo realizados. Essa análise também mostra o status dos veículos do Departamento de Serviços e a rapidez com que o equipamento passa por este departamento. O acompanhamento de itens como o último trabalho a ser faturado com a utilização do WIP Aging Analysis garantirá que você não deixe ordens de serviço abertas quando o trabalho estiver concluído. Faturar a ordem de serviço de maneira pontual melhora o atendimento ao cliente e o fluxo de caixa. 

4. ÍNDICE DE TRABALHOS REALIZADOS

Os índices efetivos de trabalhos são um indicador importante para entender a rentabilidade do seu Departamento de Serviços. O Índice efetivo de trabalho não é controlada pelo valor que você cobra, mas pelo quanto você produz. O cálculo simples do Total de Vendas de Trabalho dividido pelo Total de Horas de Trabalho Faturadas informa o que sua loja faz por hora faturada. Qualquer coisa que você possa fazer para aumentar a eficiência de seus técnicos aumentará seu índice efetivo de trabalhos. Isso não altera o valor a ser cobrado de seus clientes. Em vez disso, modifica seus resultados. O acompanhamento da utilização dos técnicos para o custo médio do trabalho, horas trabalhadas, as horas cobradas e a índice de trabalhos também ajudarão a melhorar a receita, permitindo que mais horas sejam cobradas no mesmo período. 

5. PEÇAS COM BAIXA ROTATIVIDADE

A baixa demanda em relação aos suprimentos pode levar a estoques obsoletos e com peças com baixa rotatividade. Quando uma concessionária decide se livrar do estoque com baixa rotatividade, a abordagem mais comum é simplesmente descartá-las, descartá-las como resíduo ou, em alguns casos, devolvê-las ao fornecedor. Mas primeiramente, você deve determinar quais itens possuem baixa rotatividade e quais definitivamente não serão vendidos. A capacidade de visualizar o desempenho das vendas de peças em todas as suas filiais ajudará você a decidir quais peças podem ser transferidas para outras localidades para serem vendidos e quais peças definitivamente não serão vendidas. O estoque de peças com baixa rotatividade ocupa um espaço valioso nas prateleiras que poderia ser utilizado para os materiais com maior demanda. Em seguida, você pode vender o estoque em excesso, obsoleto e com baixa rotatividade com desconto sempre que possível, mesmo se estiver no valor residual. 
  

Não se surpreenda pela falta de visibilidade sobre seus dados

Sabemos que cada concessionária de caminhões enfrenta desafios únicos, mas também sabemos que o acompanhamento desses cinco KPIs pode ajudar a melhorar sua lucratividade. Além disso, é um passo importante na criação de uma concessionária orientada a dados.   

Imagine que o RH possa combinar e comparar os dados dos Serviços DAC com os dados internos sobre absenteísmo, reclamações, registros claros e registros diários. Ou imagine os reparos dispendiosos e os longos períodos de inatividade da frota que você evitará com os departamentos de Peças e Serviços sendo notificados sobre manutenções automáticas com base nos dados do EOBR dos caminhões. E se o departamento de vendas receber um relatório com os leads qualificados que inclui informações de contato, tipos de caminhões utilizados, tempo de duração da frota, histórico sobre a compra de caminhões novos ou usados e suas rotas mais comuns.

As possibilidades são ilimitadas. Mas sem as ferramentas certas para permitir que você visualize todos os dados mais importantes que sua concessionária está produzindo, você não tem a visão sobre a saúde da empresa. Saiba mais sobre o que é preciso para criar uma concessionária orientada por análises no guia: Como se tornar uma organização orientada a dados.


We use cookies to improve your site experience, but they also provide us with information on your use of our website.
To find out more about the cookies we use and how to delete them, see our Privacy Policy. By continuing to browse the site, you are consenting to our use of cookies.

ok